Vinicius Ferreira

Oriki
Brasil // Brazil

Oriki carrega na língua iorubá, advinda do Golfo da Guiné, significados extensos, como afeto, nome, canto, poema ou algo que é oferecido a alguém. Aqui, o termo ressurge como uma nova voz de vazão. É ofertada, portanto, uma viagem ao desconforto, por dentro de um Brasil múltiplo e infinito. Desdobramento de um fotolivro, o documentário revela imagens de comunidades com dignidade e rigor formal apontando para as passagens entre fotografia e vídeo.


Oriki loads up on the Yoruba language, from the Gulf of Guinea, extensive meanings, such as affection, name, song, poem or something that is offered to someone. Here, the term emerges as a new voice flow. Therefore, a journey to the discomfort inside a multiple and infinite Brazil is offered. The documentary, an outcome of a photobook, reveals images of communities with dignity and formal rigor pointing to the passages between photo and video.

Festival Internacional de Fotografia de Belo Horizonte 2017