Caio Moura

Ná Régua

Descolorido, preto, castanho, curto, longo, desenhado, crespo, etc. O cabelo deixou sua função protetora para se tornar um marco de identidade, símbolo de resistência e instrumento de resinificação cultural. Os cabelos curtos e sensuais femininos de Clara Bow que marcaram os anos 20, os topetes exagerados e mal penteados dos anos 80 que marcaram as pistas de dança das danceterias discotecas brasileiras, o penteado Emo – alisado, pintado de preto e tampando o rosto – em meados de 1980 nos Estados Unidos e que perdurou até os anos 2000. A série “Na Régua” documenta os cortes de cabelo que estão criando a identidade dos últimos anos, evidenciando a excêntrica geometria estampada nas cabeças dos garotos brasileiros.

 

Festival Internacional de Fotografia de Belo Horizonte 2017